Pular para o conteúdo principal

RAVI SHANKAR , LENDÁRIO CITARISTA INDIANO : GURU DE GEORGE HARRISON

Ravi Shankar tornou música tradicional indiana conhecida em todo o mundo

Ravi Shankar tornou música tradicional indiana conhecida em todo o mundo (AFP)

Lendário citarista Ravi Shankar morre

aos 92 anos


Pai da cantora Norah Jones, músico indiano influenciou a carreira de Beatles e John Coltrane




Getty Images

O músico indiano Ravi Shankar em 2011


note
Dec 20, 2012. A memorial service for
Pandit Ravi Shankar was held in
Encinitas, Ca., and another memorial
will be held in India in January.

O músico indiano Ravi Shankar morreu nesta terça (11) aos 92 anos, na cidade de San Diego, no sul da Califórnia. Conhecido pela popularização da música indiana a partir dos anos 1960, Shankar sofria com problemas respiratórios e cardíacos há um ano e foi submetido a uma cirurgia para substituição de uma válvula cardíaca na semana passada.
"Embora seja um momento de sofrimento e tristeza, é também um momento para todos nós agradecermos e sermos gratos pela chance de tê-lo como parte de nossas vidas", disse a família. "Ele vai viver para sempre em nossos corações e em sua música."
Na Índia, o gabinete do primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, postou uma mensagem no Twitter chamando Shankar de um "tesouro nacional e embaixador global do patrimônio cultural da Índia".
"Uma era morreu com a morte de... Ravi Shankar. A nação junta-se a mim para homenagear seu gênio insuperável, sua arte e sua humildade", acrescentou o primeiro-ministro indiano.
Pai da cantora Norah Jonas, Ravi Shankar é considerado um dos nomes mais importantes da world music. Entre os músicos que foram influenciados por ele destacam-se os Beatles, tendo em George Harrison um de seus maiores discípulos. Ao seu lado o guitarrista aprendeu a tocar cítara, utilizando o instrumento na faixa "Within You Without You", do disco "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band", de 1967.


"Quando George virou meu estudante eu ganhei um novo público: os jovens", afirmou Shankar em entrevista à revista Rolling Stone. "E eles vieram como uma onda por causa do movimento hippie e seu interesse pela cultura indiana. Infelizmente tudo foi associado às drogas, álcool e o Kamasutra. Mas eu sempre lutei contra isso. Eu dizia a eles para me dar a chance de fazê-los viajar pela música apenas - o que realmente acontece. Acho que meu posicionamento foi importante e é por isso que eu estou aqui hoje".
Shankar também foi prfessor do músico John Coltrane, cuja influência sofrida foi tanta que batizou seu filho de Ravi.
Em sua carreira Shankar ganhou três prêmios Grammy. O músico realizou seu último show com sua outra filha Anoushka em 4 de novembro, em Long Beach, Califórnia. Na noite anterior à cirurgia, ele foi nomeado para um Grammy por seu álbum mais recente "The Living Room Sessions, Part 1."
Sua família disse que os planos para a cerimônia em memória ao citarista serão anunciados em outro momento e pediu que as doações sejam feitas para a Fundação de Ravi Shankar.

Fonte:http://ultimosegundo.ig.com.br/cultura/musica/2012-12-12/



Músico ficou conhecido ao colaborar com os Beatles e virou guru de George Harrison. Ele era pai de Norah Jones e da compositora Anoushka Shankar



O músico indiano Ravi Shankar, que ficou conhecido em todo o mundo na deácada de 1960 ao colaborar com astros pop como os Beatles, morreu nesta terça-feira em um hospital próximo a sua casa em San Diego, no sul da Califórnia (EUA). Ele tinha 92 anos de idade e desde o ano ano passado sofria de problemas respiratórios e cardíacos, condição que o levou a ser submetido na última quinta-feira a uma cirurgia para substituir uma válvula cardíaca.
"Embora a operação tenha sido bem-sucedida, a recuperação acabou sendo difícil demais para o músico de 92 anos", afirmou sua gravadora em nota divulgada à imprensa. Shankar era casado com Sukanya Rajan e tinha duas filhas de casamentos diferentes – a cantora Norah Jones e a citarista e compositora Anoushka Shankar Wright. Além disso, ele deixa três netos e quatro bisnetos.
"Infelizmente, apesar dos esforços dos cirurgiões e dos médicos que cuidaram dele, seu corpo não foi capaz de suportar o esforço da operação. Estivemos ao seu lado quando morreu", declararam a mulher e a filha Anoushka. A família ainda não anunciou os planos para o velório e solicitou que todas as flores e doações sejam destinadas à Fundação Ravi Shankar.
Apesar das doenças que enfrentava, Ravi Shankar continuou apresentando-se nos últimos meses e realizou seu último show no dia 4 de novembro em Long Beach, no condado de Los Angeles, ao lado de Anoushka Shankar. Seu álbum The Living Room Sessions Part 1 foi indicado à próxima edição do Grammy na semana passada, e o músico soube da notícia antes de sua operação.
Trajetória – Ravi Shankar nasceu em Varanasi, no estado indiano de Utar Pradesh, em 7 de abril de 1920. Seu pai, V. Lakshinarayana, era professor de violino em seu país, o que contribuiu para que Shankar começasse a tocar esse instrumento quando tinha 5 anos.
Uma década depois, deixou a Índia para viajar a Paris com a companhia de dança do seu irmão Uday. Em 1936, começou a estudar a cítara, instrumento tradicional indiano, sob a direção de Ustad Allauddin Khan, e pouco depois começou a fazer excursões por Europa e EUA.
Alcançou a fama no Ocidente graças a sua amizade com o guitarrista George Harrison, dos Beatles, de quem foi guru após conhecê-lo em 1966. No ano seguinte, realizou seu primeiro dueto com o violinista Yehudi Menuhin, com o qual posteriormente colaborou em várias ocasiões.
Em 1969, viajou aos EUA com a intenção de aprofundar-se na música do Ocidente e, ao mesmo tempo, popularizar a música hindu. Dois anos mais tarde, a pedido da London Symphony, compôs um concerto que estreou no Royal Festival Hall, na capital inglesa. Em 1976, começou a colaborar com o guitarrista John McLaughlin, com quem fundou o grupo Shakti, trabalhou na One Truth Band e gravou o álbum 'Touch me there', sob a direção de Frank Zappa.
Concertos – A atividade musical de Ravi Shankar foi intensa, tendo destaque também como compositor. É autor de dois concertos para cítara e orquestra, além de músicas para balés e trilhas sonoras para filmes. O músico indiano protagonizou o filme Raga, centrado em sua vida, e em 1978 publicou o livro autobiográfico My life, my music.
Seu primeiro casamento, com a filha do músico Ustad Allauddin Khan, Annapurna, terminou em 1982, após anos de separação nos quais manteve relações com Kamala Chakravarty e Sue Jones, mãe de Norah Jones. Por fim, Shankar se casou em 1989 com Sukanya Rajan, com quem viveu desde então entre San Diego e Nova Délhi. O indiano também teve um filho, Shubho, que seguiu a carreira citarista até morrer repentinamente aos 50 anos, em 1992. 

Fonte:http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/

VIDA E OBRA

Pandit Ravi Shankar (bengali: রবি শংকর; nascido Robindro Shaunkor Chowdhury; Varanasi, 7 de abril de 1920San Diego, 11 de dezembro de 2012) foi um compositor e músico indiano. Ravi Shankar ficou conhecido em todo o mundo na década de 1960 ao colaborar com astros pop como os Beatles.[2][3] Ravi Shankar foi considerado como o "padrinho de música do mundo".

Vida

Nascido o mais novo de sete filhos de uma família brâmane bengali. Seu pai, V. Lakshinarayana, era professor de violino em seu país, o que contribuiu para que Shankar começasse a tocar esse instrumento quando tinha cinco anos. Uma década depois, deixou a Índia para viajar a Paris com a companhia de dança do seu irmão Uday. Em 1936, começou a estudar a cítara, instrumento tradicional indiano, sob a direção de Ustad Allauddin Khan, e pouco depois começou a fazer excursões pela Europa e EUA.
Alcançou a fama no Ocidente graças a sua amizade com o guitarrista George Harrison, dos Beatles, de quem foi guru após conhecê-lo em 1966. No ano seguinte, realizou seu primeiro dueto com o violinista Yehudi Menuhin, com o qual posteriormente colaborou em várias ocasiões.
Em 1969, viajou aos EUA com a intenção de aprofundar-se na música do Ocidente e, ao mesmo tempo, popularizar sua música hindu. Dois anos mais tarde, a pedido do Orquestra Sinfônica de Londres, compôs um concerto que estreou no Royal Festival Hall, na capital inglesa. Em 1976, começou a colaborar com o guitarrista John McLaughlin, com quem fundou o grupo Shakti, trabalhou na One Truth Band e gravou o álbum 'Touch me there', sob a direção de Frank Zappa. Ravi Shankar participou do festival de Monterrey em 1967 e 1969 ao lado de Jimi Hendrix, Joe Cocker, Janis Joplin e outros no lendário Festival de Woodstock.[4]
Shankar ensinou nas universidades de Nova York e Los Angeles, dirigiu a partir de 1970, o Departamento de Música indiana no California Institute of the Arts.[5] Compôs trilhas sonoras de filmes diversos, entre outras coisas, de Richard Attenborough "Gandhi". Em 1986 foi nomeado pelo primeiro-ministro Rajiv Gandhi para a casa superior do Parlamento indiano, onde atuou até 1992.
Com seu álbum "The Living Room Sessions Parte 1" Ravi Shankar está nomeada para os Grammy Awards de 2013 na categoria "Melhor Álbum de Música do Mundo".[editar] Concertos
A atividade musical de Ravi Shankar foi intensa, tendo destaque também como compositor. É autor de dois concertos para cítara e orquestra, além de músicas para balés e trilhas sonoras para filmes. O músico indiano protagonizou o filme Raga, centrado em sua vida, e em 1978 publicou o livro autobiográfico My life, my music.[editar] Vida privada
Seu primeiro casamento em 1941, com a filha do músico Ustad Allauddin Khan, Annapurna Devi, terminou em 1982, após anos de separação nos quais manteve relações com Kamala Chakravarty e Sue Jones, mãe da cantora de jazz Norah Jones. Desde um relacionamento com Sukanya Shankar nasce a proeminente sitarista Anoushka Shankar em 1981.[6] Por fim, Shankar se casou em 1989 com Sukanya Rajan, com quem viveu desde então entre San Diego e Nova Délhi. Ele também teve um filho, Shubhendra Shankar, que seguiu a carreira citarista até morrer repentinamente aos 50 anos, em 1992.

Morte

Ravi Shankar morreu em 11 de dezembro de 2012 em San Diego aos 92 anos.[7] Ele estava doente desde o ano anterior por conta de problemas respiratórios e cardíacos, uma condição que o levou a submeter-se no dia 6 de dezembro a uma intervenção cirúrgica para substituir uma válvula cardíaca, não resistindo no período de recuperação.

Ravi Shankar
Ravi Shankar 2009 crop.jpg
Ravi Shankar em 2009
Informação geral
Nome completoRobindro Shaunkor Chowdhury
Nascimento7 de Abril de 1920
Local de nascimentoVaranasi, Uttar Pradesh
Flag of Imperial India.svg Índia Britânica
Data de morte11 de Dezembro de 2012 (92 anos)
Local de morteSan Diego, Califórnia
 Estados Unidos
Gênero(s)Música indiana
Instrumento(s)Sitar
Período em atividademusico, compositor
Afiliação(ões)Shubhendra Shankar (nasc. 1942)Norah Jones (nasc. 1979)Anoushka Shankar (nasc. 1981)[1]
Página oficialRavi Shankar


Referências

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Ravi_Shankar


Postagens mais visitadas deste blog

CANTO GREGORIANO - A MAIS ANTIGA MANIFESTAÇÃO MUSICAL DO OCIDENTE

Canto Gregoriano, ou Cantochão, é o nome que se dá à música monofônica, de apenas uma melodia, sem acompanhamento. Seu nome deriva do papa Gregório I, que comandou a igreja entre 590 e 604. Gregório I empreendeu uma reforma na igreja e passou a implementar este tipo de canto nas celebrações religiosas.

HISTÓRIA DO CANTO GREGORIANO

O canto gregoriano é a mais antiga manifestação musical do Ocidente e tem suas raízes nos cantos das antigas sinagogas, desde os tempos de Jesus Cristo. Os primeiros cristãos e discípulos de Cristo foram judeus convertidos que, perseverantes na oração, continuaram a cantar os salmos e cânticos do Antigo Testamento como estavam acostumados, embora com outro sentido, à medida que os não judeus gregos e romanos foram também se tornando cristãos, elementos da música e da cultura greco-franco-romana foram sendo acrescentados às canções judaicas.
O período de formação do canto gregoriano vai dos séculos I ao VI, atingindo o seu auge nos séculos VII e VIII, quando fo…

GREGORIAN : CANTO GREGORIANO INSPIRADO EM VERSÕES MODERNAS DE MÚSICAS

Gregorian é um projeto musical alemão liderado por Frank Peterson cantando cantos gregorianos inspirados em versões modernas das músicas dos anos 60, 70, 80, 90 e 2000, tornando-a mística e mais apreciada pelo gosto comum. O 'brilho' vocal de 8 vozes melodiosas, combinadas com imagens gravadas em ambiente de cunho religioso, dão o resultado que vemos em seus videos ou espectáculos ao vivo imemoráveis.
Originalmente, Gregorian foi considerado como mais um grupo pop-oriental no estilo de Enigma. Em 1998, Peterson e seu pessoal reinventaram o projecto para transformar sons populares em estilos gregorianos, tornando excelso aquilo que seria mais 'profano'.
Os membros do grupo do coro são: Richard Naxton , Johnny Clucas , Dan Hoadley , Chris Tickner , Richard Collier , Gerry O'Beime, Lawrence White e Rob Fardell.


Gregorian é um projeto musical alemão, liderado por Frank Peterson, cantando cantos gregorianos inspirados em versões modernas das músicas pop e rock

DEVA PREMAL E MITEN - ANTIGOS MANTRAS SÂNSCRITOS INDIANOS EM CONTEMPORÂNEA ATMOSFERA

Deva Premal e Miten




Deva Premal em contraste com o estilo de vida rock'n'roll de Miten criada em uma atmosfera de mantra e disciplina espiritual.
Nascida na Alemanha em 1970 de um artista místico pai / mãe e um talento musical, ela aprendeu violino, piano e recebeu treinamento de voz.


Na época, ela tinha cinco anos, ela já estava cantando o Gayatri Mantra diáriamente, e desde então ela continua a integrar a meditação em sua vida.
Ela estudou Shiatsu, Reflexologia, Massagem e Terapia craniossacral, mas a música continua a ser seu primeiro amor.


Meu pai foi no caminho espiritual desde os anos 50, estudando Yoga, escrituras e quaisquer livros estavam disponíveis na época, tornando-se sua disciplina diária para meditar todos os dias entre 3 e 5 da manhã", diz ela.
"Quando eu estava crescendo, ele desenvolveu exercícios para minha irmã e eu, para nos ajudar a nos tornar mais consciente do momento.
Quando criança, ela estudou violino e piano, mas parou até que ela conheceu Mite…