Pular para o conteúdo principal

LISA GUERRARD - UMA VOZ QUE VEM DA ALMA




Lisa Gerrard (nascimento: 12 de Abril de 1961) é musicista, cantora e compositora australiana, que ganhou renome internacional como parte do grupo musical Dead Can Dance com o amigo irlandês Brendan Perry. Sua carreira começou em 1981 e continua até hoje, estando envolvida numa gama variada de projetos. Lisa Gerrard recebeu o prêmio Globo de Ouro e uma indicação ao Óscar em 2000 pelo seu trabalho no filme Gladiator. Além de cantar, Lisa faz música instrumental na como parte de seu trabalho, geralmente utilizando o Yangqin (uma cítara chinesa chamada dulcimer tocada com dois pequenos martelos).

Passado
Nascida 12 de Abril de 1961 em Melbourne, Lisa Gerrard cresceu no subúrbio multi-étnico de Prahran com seus pais, imigrantes irlandeses. Ali ela teve contato com as culturas Grega, Turca, Italiana, Irlandesa e Árabe. Sua educação neste subúrbio diversificado teve uma influência enorme na sua música, particularmente nos últimos álbuns do Dead Can Dance, em seus trabalhos sólos e parcerias.


Lisa Gerrard
Informação geral
Nascimento12 de Abril de 1961 (51 anos)
OrigemMelbourne
País Austrália
GênerosGothic, New Age, Ambient, Ethereal Wave
InstrumentosVocal, Yangqin, Accordion
Extensão vocalContralto
AfiliaçõesDead Can Dance, Stephan Micus


Carreira

 Dead Can Dance

O Dead Can Dance foi originalmente formado como um quarteto em 1981 na cidade de Melbourne, mas em 1982 se mudou para Londres com os membros Brendan Perry, Lisa Gerrard e o baixista Paul Erikson. Paul vôou logo depois de volta para a Austrália, deixando a banda apenas Lisa e Brendan. O Dead Can Dance gravou oito álbuns na gravadora 4AD Records começando com o LP de 1984 chamado Dead Can Dance. A banda se separou em 1998, mas se reuniu em 2005 para uma turnê mundial.

Trabalho sólo e parcerias

Em 1995 ela gravou e lançou seu primeiro álbum solo chamado The Mirror Pool. Depois deste, ela continuou a trabalhar com o Dead Can Dance, lançando seu último álbum, Spiritchaser, em 1996. Já em 1998 ela gravou o álbum Duality em colaboração com Pieter Bourke. Esta parceria deu início a uma colaboração conjunta em uma série de trilhas para filmes, incluindo The Insider e Ali (filme).
Em 2004 Lisa Gerrard começou uma nova parceria com Patrick Cassidy, marcado pelo lançamento do álbum Immortal Memory. Novamente, esta parceria deu origem a um trabalho no cinema, incluindo Salem's Lot.
Em 2006, Sanctuary, um documentário sobre a vida e trabalho de Lisa Gerrard foi gravado e lançado em Setembro de 2006. Este é um trabalho do produtor e diretor multi-talentoso Clive Collier e apresenta longas entrevistas com Lisa Gerrard e também várias pessoas que colaboraram com seu trabalho no passado, incluindo Michael Mann, Russell Crowe, Hans Zimmer e Niki Caro.
No mesmo ano, Lisa Gerrard lançou o segundo álbum sólo chamado The Silver Tree. Este álbum foi muito diferente do seu trabalho anterior e também seu primeiro álbum lançado fora da gravadora 4AD. O álbum foi primeiro lançado no iTunes, com um planejamento amplo de lançamento futuro. O álbum foi indicado pelo Australian Music Prize em 2006. É atualmente citado como um dos nove melhores álbuns australianos.
Em 2007, um álbum de retrospectiva, chamado The Best of Lisa Gerrard foi lançado cobrindo sua carreira no Dead Can Dance, trabalho sólo e filmes. Um total de 15 canções foram incluídas. Uma turnê futura está planejada começando no mês de Abril em Melbourne, Austrália. Esta turnê será tida como a primeira vez que Lisa Gerrard se apresentou na Austrália, apresentando-se em três cidades. Esta turnê também inclui uma passagem na Europa e na América do Norte. Os shows já foram anunciados em Melbourne (2 de abril), Sydney (4 de abril), Brisbane (5 de abril), Barcelona (11 de abril 11), Milão (13 de abril), Paris (15 de abril), Bruxelas (17 de abril), Duisburg (18 de abril), Den Haag (20 de abril), Hamburg (22 de abril), Berlin (23 de abril), Varsóvia (25 de abril), Praga (27 de abril) e Londres (29 de abril) (detalhes).
Os shows na América do Norte: Atlanta (3 de maio), Filadélfia (5 de maio), Alexandria (7 de maio), Nova Iorque (9 de maio), Montreal (11 de maio), Toronto (13 de maio), Chicago (15 de maio), Minneapolis (17 de maio), Denver (19 de maio), Vancouver (22 de maio), Seattle (24 de maio), São Francisco (26 de maio), Los Angeles (29 de maio), San Diego (30 de maio) (detalhes).

 Estilo vocal

A voz de Lisa Gerrard é classificada como contralto. Pode, contudo, chegar a meio-soprano dramático em canções como The Host of Seraphim, Elegy, Space Weaver, Come This Way e One Perfect Sunrise; noutras — Sanvean, Sacrifice', Largo e Not Yet, por exemplo — Gerrard vai a contralto dramático.
Em muitas de suas canções, tais como Now We Are Free, Come Tenderness, Serenity, The Valley of the Moon, Tempest, Pilgrimage of Lost Children, Coming Home e Sanvean, Lisa Gerrard usa uma idioglóssia (uma linguagem idiossincrática) que ela desenvolve desde seus doze anos de idade.

Carreira cinematográfica



Lisa Gerrard, Dead Can Dance.

A primeira experiência de Lisa Gerrard na composição para o cinema surgiu em 1989 no filme espanhol El Niño de la Luna, dirigido por Agustín Villaronga. A trilha do filme foi composta pela banda Dead Can Dance e o filme foi estrelado por Lisa Gerrard como atriz pela primeira vez. El Niño de la Luna conta a história de um jovem órfão com poderes especiais, David, que escapa de uma instituição com ajuda de sua amiga Georgina, papel de Lisa Gerrard.
Lisa participou em várias trilhas mas ficou em destaque como produtora de filme após gravação de The Insider em 1999, com Pieter Bourke, e Gladiator em 2000, com Hans Zimmer.
Em 2005 ela colaborou com Ennio Morricone no filme Fateless.

 

Discografia

Dead Can Dance

 Carreira Além do Dead Can Dance

 Ligações externas




Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Lisa_Gerrard



VÍDEOS:

Lisa Gerrard "Redemption" HD








OUTROS VÍDEOS:




Lisa Gerrard - Devotion






Lisa Gerrard & Pieter Bourke "Sacrifice"




OUTROS VÍDEOS:






Postagens mais visitadas deste blog

CANTO GREGORIANO - A MAIS ANTIGA MANIFESTAÇÃO MUSICAL DO OCIDENTE

Canto Gregoriano, ou Cantochão, é o nome que se dá à música monofônica, de apenas uma melodia, sem acompanhamento. Seu nome deriva do papa Gregório I, que comandou a igreja entre 590 e 604. Gregório I empreendeu uma reforma na igreja e passou a implementar este tipo de canto nas celebrações religiosas.

HISTÓRIA DO CANTO GREGORIANO

O canto gregoriano é a mais antiga manifestação musical do Ocidente e tem suas raízes nos cantos das antigas sinagogas, desde os tempos de Jesus Cristo. Os primeiros cristãos e discípulos de Cristo foram judeus convertidos que, perseverantes na oração, continuaram a cantar os salmos e cânticos do Antigo Testamento como estavam acostumados, embora com outro sentido, à medida que os não judeus gregos e romanos foram também se tornando cristãos, elementos da música e da cultura greco-franco-romana foram sendo acrescentados às canções judaicas.
O período de formação do canto gregoriano vai dos séculos I ao VI, atingindo o seu auge nos séculos VII e VIII, quando fo…

GREGORIAN : CANTO GREGORIANO INSPIRADO EM VERSÕES MODERNAS DE MÚSICAS

Gregorian é um projeto musical alemão liderado por Frank Peterson cantando cantos gregorianos inspirados em versões modernas das músicas dos anos 60, 70, 80, 90 e 2000, tornando-a mística e mais apreciada pelo gosto comum. O 'brilho' vocal de 8 vozes melodiosas, combinadas com imagens gravadas em ambiente de cunho religioso, dão o resultado que vemos em seus videos ou espectáculos ao vivo imemoráveis.
Originalmente, Gregorian foi considerado como mais um grupo pop-oriental no estilo de Enigma. Em 1998, Peterson e seu pessoal reinventaram o projecto para transformar sons populares em estilos gregorianos, tornando excelso aquilo que seria mais 'profano'.
Os membros do grupo do coro são: Richard Naxton , Johnny Clucas , Dan Hoadley , Chris Tickner , Richard Collier , Gerry O'Beime, Lawrence White e Rob Fardell.


Gregorian é um projeto musical alemão, liderado por Frank Peterson, cantando cantos gregorianos inspirados em versões modernas das músicas pop e rock

DEVA PREMAL E MITEN - ANTIGOS MANTRAS SÂNSCRITOS INDIANOS EM CONTEMPORÂNEA ATMOSFERA

Deva Premal e Miten




Deva Premal em contraste com o estilo de vida rock'n'roll de Miten criada em uma atmosfera de mantra e disciplina espiritual.
Nascida na Alemanha em 1970 de um artista místico pai / mãe e um talento musical, ela aprendeu violino, piano e recebeu treinamento de voz.


Na época, ela tinha cinco anos, ela já estava cantando o Gayatri Mantra diáriamente, e desde então ela continua a integrar a meditação em sua vida.
Ela estudou Shiatsu, Reflexologia, Massagem e Terapia craniossacral, mas a música continua a ser seu primeiro amor.


Meu pai foi no caminho espiritual desde os anos 50, estudando Yoga, escrituras e quaisquer livros estavam disponíveis na época, tornando-se sua disciplina diária para meditar todos os dias entre 3 e 5 da manhã", diz ela.
"Quando eu estava crescendo, ele desenvolveu exercícios para minha irmã e eu, para nos ajudar a nos tornar mais consciente do momento.
Quando criança, ela estudou violino e piano, mas parou até que ela conheceu Mite…