Pular para o conteúdo principal

SINO TIBETANO - O SOM QUE CURA

Imagem relacionada


SINO TIBETANO - O SOM QUE CURA



Alguns afirmam que os sinos tibetanos são antigos instrumentos musicais originários no Himalaia e que se espalharam por toda a Ásia ao longo dos séculos. Outros dizem que da sua origem não existem informações documentadas e que, do Tibet só têm o nome. Mas, o certo é que o som que esses sinos de metal emitem é delicioso e curativo.


sino tibetano

São chamados de sinos mas, na verdade são taças pois não são instrumentos que ficam suspensos. Parecem mais com potes redondos, feitos de uma liga específica de 7 metais - prata, ouro, ferro, cobre, mercúrio, estanho e chumbo - e que, segundo alguns, têm correspondência nos 7 astros do nosso sistema solar. Porém, também encontram-se sinos ou taças tibetanas (ou nepalesas, indús ou chinesas) feitas em bronze e com uma gama de sons muito límpidos que varia conforme o seu formato e tamanho.

Como canta o sino tibetano?

O som acontece pela fricção de um bastão de madeira que deve ser girado na borda externa da taça. Basta um primeiro toque e logo, o arrastar do bastão prolongará a vida do som.
A técnica é fácil e, para você fazer o sino tibetano cantar, siga as indicações do vídeo que coloco a seguir:

Som curativo?

Sim. Esta é a base da musicoterapia - o conceito de que determinados sons afetam, de forma específica, as células do nosso organismo e, consequentemente, podem influenciar positivamente as funções orgânicas e as emoções. Em uma sequência bem pensada, ouvir sons harmônicos é realmente curativo.
Mas, mesmo que você não acredite nesse poder de cura dos sons produzidos pelos sinos tibetanos, não terá como negar que este é um som profundamente relaxante, escute:
musicoterapia com sinos tibetanos usa diversos tamanhos, formatos e materiais para a confecção dos sinos.
Em seus diversos tamanhos, os sinos tibetanos produzem uma variedade de sons e tons
Em uma vibração poli-harmônica considerada curativa que são, frequentemente, usados em sessões de yoga, meditação e relaxamentoassim como em tratamentos específicos como a massagem pelo som:

Características dos sinos tibetanos

A liga de 7 metais que se usa para fazer os sinos ou taças tibetanas mais finas, como já dissemos, tem sua explicação na energia peculiar de sete astros do nosso sistema solar:
  • prata para a Lua,
  • ferro para Marte,
  • mercúrio para Mercúrio,
  • cobre para Venus,
  • estanho para Júpiter,
  • chumbo para Saturno e
  • ouro para o Sol.
Pelo menos essa é a explicação esotérica que dão muitos dos que usam os sinos - certo ou não, o que importa é que o som seja límpido e puro, com permanência e harmonia.
Já o tamanho das taças varia bastante e, para cada diâmetro, um som diferente se consegue. Pode-se encontrar sinos tibetanos pequenos, de diâmetro com não mais que 10 cm e até alguns muito maiores (30 cm e mais) e, claro, o seu peso vai aumentando também o que dificultará o uso das maiores taças na terapia.
Os bastões para tocar os sinos tibetanos são feitos em madeira firme e, normalmente, revestidos em tecido (mas, nem sempre - tenho 2 sinos cujos bastões são de madeira de lei, bem polida, e só).
Dependendo do local de origem dos sinos tibetanos, estes podem ter desenhos gravados em sua superfície (interna e externamente) ou serem totalmente lisos.
Os sons dos sinos tibetanosestão associados à regeneração dos tecidos através da vibração profunda que produz em nosso organismo. Assim, terapeuticamente se pode usar o sino sobre o local do corpo a ser tratado (aumentando seu efeito pela proximidade - som e vibração física) ou, simplesmente, pelo som que envolve o paciente.

Os principais benefícios de sinos tibetanos usados em massagem sônica e musicoterapia são:

  • Relaxamento do corpo e da mente
  • Despertar da criatividade
  • Dissolução de energia e tensões emocionais
  • Percepção corporal melhorada
  • Regeneração de energia
  • Redução dos sintomas de estresse
  • Redução de contraturas musculares
Fonte:https://www.greenme.com.br/viver/saude-e-bem-estar/5499-sino-tibetano-som-curativo




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÚSICA ANDINA : A ALMA MUSICAL DOS ANDES

Música andina é um termo que se aplica a uma vasta gama de gêneros músicas originados na Cordilheira dos Andes, aproximadamente na área dominada pelos incas antes do contato europeu. Esta área inclui integramente a Bolívia, norte do Chile, norte da Argentina, serras do Equador e o sul do Peru.
É tocada com uma gama variada de instrumentos nativos. Em algumas regiões e países, caracteriza-se pela interpretação com instrumentos como a flauta de pã, a quena, o charango e o tambor. Em outros lugares, os instrumentos básicos são o requinto (espécie de cavaquinho com altas notas melódicas), o violão, o triplo (espécie de violão com notas agudas), e a bandola. Entre os artistas mais destacados desse estilo musical regional são incluidos os grupos bolivianos, peruanos e chilenos como Los Kjarkas, Savia Andina, Alborada, Illapu e Inti-Illimani.

A flauta de pã ou flauta de pan é um instrumento musicalsul americano, e o nome genérico dado a instrumentos musicais constituídos por um conjunto de tub…

CANTO GREGORIANO - A MAIS ANTIGA MANIFESTAÇÃO MUSICAL DO OCIDENTE

Canto Gregoriano, ou Cantochão, é o nome que se dá à música monofônica, de apenas uma melodia, sem acompanhamento. Seu nome deriva do papa Gregório I, que comandou a igreja entre 590 e 604. Gregório I empreendeu uma reforma na igreja e passou a implementar este tipo de canto nas celebrações religiosas.

HISTÓRIA DO CANTO GREGORIANO

O canto gregoriano é a mais antiga manifestação musical do Ocidente e tem suas raízes nos cantos das antigas sinagogas, desde os tempos de Jesus Cristo. Os primeiros cristãos e discípulos de Cristo foram judeus convertidos que, perseverantes na oração, continuaram a cantar os salmos e cânticos do Antigo Testamento como estavam acostumados, embora com outro sentido, à medida que os não judeus gregos e romanos foram também se tornando cristãos, elementos da música e da cultura greco-franco-romana foram sendo acrescentados às canções judaicas.
O período de formação do canto gregoriano vai dos séculos I ao VI, atingindo o seu auge nos séculos VII e VIII, quando fo…

SONS QUE CURAM: A MATEMÁTICA,AS MÚSICAS DAS ESFERAS E A CURA

Sons que Curam
A Matemática, as Músicas das Esferas e a Cura dos Corpos (Sons que Curam) Faz alguns meses que estou pesquisando sobre as frequências (vibrações) das músicas em nossos corpos (físico e espirituais) e estou trabalhando em um projeto sobre as Músicas dos Mestres Ascensos e seus respectivos Raios. Tenho colocado copos com água para serem magnetizados (fluidificados) com músicas de Mozart e Beethoven. Notei diferenças não só no sabor, mas também em meus corpos. Recentemente, uma amiga muito querida, Isa, enviou o link de um vídeo do Dr. Ryke Geerd Hamer, um médico alemão que utiliza a Nova Medicina Germânica® para tratamento de câncer. Apesar de termos várias Medicinas Alternativas, esta ainda não conhecia. Fiquei impressionado com os detalhes, pois ele utiliza a música como cura. Ampliei a pesquisa e tive a intuição de preparar este material. Tive dificuldades para encontrar alguns vídeos, pois atualmente o Youtube está bloqueando e/ou retirando vários vídeos. Tive de vasculhar…